segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

A dificuldade de se apaixonar novamente

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017


Depois de um tempo fica difícil abrir o coração novamente, assim, de maneira espontânea. As derrotas no jogo do amor ensinam a racionalizar alguns sentimentos e, por este motivo, gostar de alguém não é tão simples como deveria ser. Criamos barreiras, exigências, inventamos mil motivos, mais para o não do que para o sim.
Meio que por sobrevivência, se não sabemos, acabamos descobrindo atalhos para sermos felizes sozinhos o tempo todo. Aprendemos as coisas que nos aliviam, que nos deixam felizes, que nos acalmam, que nos distraem e que nos fortalecem. Construímos um mundo particular confortável e uma cela quase intransponível para o coração.

De vez em quando aparece alguém batendo na porta, educadamente, querendo entrar, e por mais que a pessoa mereça uma chance, às vezes entregar-se é custoso. Parece cansativo sair do conforto de não sentir vazios no coração ou nós na garganta – porque gostar de alguém às vezes causa estes efeitos colaterais – mesmo que isso custe não morrer de amores nos finais de semana e levar uma vida sem grandes intimidades. Pagamos o preço do não amar, às vezes com gosto.
Criamos um medo enorme, mas ele não é de amar, nunca foi. O medo é de dar errado, de se machucar, de se entregar à toa, de quebrar a cara e sofrer novamente. Com o tempo ficamos fortes para a vida, mas frouxos para o amor. É como ter medo de alturas, porque não se tem medo da distância entre o chão, mas sim da possível queda.
E nesse medo que acumulamos, passam algumas pessoas que poderiam ter valido a pena insistir, mas até nisso, a motivação acaba. Lutar por alguém, doar-se um pouco mais para que algo dê certo, custa um esforço danado. Insistir em alguém parece exaustivo. Com o tempo ficamos práticos, se der certo ótimo, senão adeus. Enquanto encaixa o jogo continua, se uma peça se perde, é melhor substituir. O problema é que ficamos práticos demais.
E meio contraditório, às vezes o medo é de dar certo. E se com esta pessoa funcionar? E se eu for feliz de uma maneira que nunca imaginei que seria? Quem me garante que desta vez a pessoa não irá embora? Quem me promete que as atitudes dela me renovarão a cada dia?
Mas a vida é este risco incalculável de incertezas, talvez a saída seja entregar-se totalmente mesmo, sem limitações. Se quebrar a cara, quebrou, a gente compra uma máscara enquanto concerta a cara. Se machucar o coração a gente foca no trabalho, enquanto chora nos intervalos do almoço, enquanto as lágrimas vão levando as decepções e a nossa coragem embora, mas a coragem a gente recupera, traz de volta, e as decepções a gente transforma em aprendizado.
Depois de um tempo é preciso muita coragem para sair dessa mediocridade de relações superficiais. Talvez valha a pena encarar o medo, mesmo que a gente precise um tempo de solidão e de calma no coração. É preciso criar um alarme para não perder o horário de voltar a abrir o coração, de querer com ânsia os mais puros sentimentos.

Mesmo que não seja o momento, uma hora você precisa criar coragem para volta a subir no andar mais alto do prédio, mesmo com medo, porque um dia a alma fica inquieta e pede. E que este tempo seja para criar impulso e depois pular com tudo, porque estar vivo só vale a pena quando podemos – com toda a sua plenitude – sentir.

Muitos maridos precisam aprender com o presidente Obama a reconhecer a mulher que tem. Veja o que ele falou sobre a Michelle.



Obama só falou coisas boas sobre sua esposa, Michelle. Todos se emocionaram.
Obama demonstrou ser um excelente marido, que reconhece a mulher que tem ao lado, no seu último discurso. Há alguns anos ele afirmou que só chegou onde chegou por causa de sua esposa e, em seu discurso de despedida, ele deixou claro que Michelle o apoiou assumindo um papel que ela não tinha pedido com “elegância, caráter, estilo e humor.”
Ele começa dizendo que há 25 anos, Michelle tem sido não apenas sua esposa e mãe de suas filhas, mas também tem sido sua melhor amiga. E continua: “Uma nova geração agora mira muito mais alto, porque tem você como modelo.”

O presidente Obama termina falando que Michelle o deixou orgulhoso e deixou o país inteiro orgulhoso.
Emoções à flor da pele
Após 8 anos de mandato, o presidente Barack Obama se despediu da Casa Branca onde passou por desafios e vitórias ao lado de sua esposa Michelle Obama. Esta, com certeza será uma grande etapa no casamento deles que será lembrada para sempre.
Michelle conseguiu segurar as lágrimas, mas sua filha Mallia Obama não conseguiu segurar o choro. Ela é filmada limpando as lágrimas ao lado de sua mãe que a todo tempo olha para a filha com muita ternura e amor. O presidente Obama também derrama algumas lágrimas ao falar de sua amada esposa.
Reconhecimento e consideração
A consideração e o reconhecimento são pontos essenciais no casamento. Os maridos e esposas devem agradecer até os pequenos sacrifícios que fazem um pelo outro e pela família. Michelle Obama com certeza teve de se privar de muitas coisas e fazer muitos sacrifícios durante esses 8 anos, por isso que o presidente Obama reconheceu todo o esforço e apoio que ela lhe deu.
Lembre-se sempre de reconhecer os esforços diários de seu cônjuge, sejam eles grandes ou pequenos. É assim que se constrói amor e confiança em um casamento.
Obama só falou coisas boas sobre sua esposa, Michelle. Todos se emocionaram.
Obama demonstrou ser um excelente marido, que reconhece a mulher que tem ao lado, no seu último discurso. Há alguns anos ele afirmou que só chegou onde chegou por causa de sua esposa e, em seu discurso de despedida, ele deixou claro que Michelle o apoiou assumindo um papel que ela não tinha pedido com “elegância, caráter, estilo e humor.”
Ele começa dizendo que há 25 anos, Michelle tem sido não apenas sua esposa e mãe de suas filhas, mas também tem sido sua melhor amiga. E continua: “Uma nova geração agora mira muito mais alto, porque tem você como modelo.”
O presidente Obama termina falando que Michelle o deixou orgulhoso e deixou o país inteiro orgulhoso.
Emoções à flor da pele
Após 8 anos de mandato, o presidente Barack Obama se despediu da Casa Branca onde passou por desafios e vitórias ao lado de sua esposa Michelle Obama. Esta, com certeza será uma grande etapa no casamento deles que será lembrada para sempre.
Michelle conseguiu segurar as lágrimas, mas sua filha Mallia Obama não conseguiu segurar o choro. Ela é filmada limpando as lágrimas ao lado de sua mãe que a todo tempo olha para a filha com muita ternura e amor. O presidente Obama também derrama algumas lágrimas ao falar de sua amada esposa.
Reconhecimento e consideração
A consideração e o reconhecimento são pontos essenciais no casamento. Os maridos e esposas devem agradecer até os pequenos sacrifícios que fazem um pelo outro e pela família. Michelle Obama com certeza teve de se privar de muitas coisas e fazer muitos sacrifícios durante esses 8 anos, por isso que o presidente Obama reconheceu todo o esforço e apoio que ela lhe deu.
Lembre-se sempre de reconhecer os esforços diários de seu cônjuge, sejam eles grandes ou pequenos. É assim que se constrói amor e confiança em um casamento.

sábado, 14 de janeiro de 2017

Aceito que me proteja, mas não que me controle

sábado, 14 de janeiro de 2017


Nos relacionamentos íntimos, às vezes surgem ciúmes que fazem com que os nossos parceiros nos controlem, ou com que controlemos nossos parceiros. Mas muitas vezes nós confundimos esse controle com proteção.
“Se me controla é porque se preocupa comigo”, “se tem ciúmes é porque sou importante para ele”, “se fica irritado é porque tem motivos”. Não se engane, você não está sempre com razão. Os ciúmes não são amor, o controle não é proteção.
Não me sentirei protegido com o controle; isso vai me dar agonia e fazer com que eu me afaste cada vez mais de você.

À medida que a pessoa que te controla vai tendo mais sentimentos por você, ela vai te controlando cada vez mais. O sentimento é de saber onde você está a cada momento, se pudesse se agarrar a você e não separar nenhum segundo, ela o faria. Isso é assustador, e para falar a verdade, é para ser mesmo. Hoje eu aceito que você me proteja, mas não vou aceitar que me controle. Pense que a liberdade é muito mais valiosa do que um relacionamento que nos prive dela.
O controle é uma forma de manifestar a insegurança que temos em nós mesmos. Não podemos controlar o nosso parceiro, porque longe do que nós podemos pensar, ele é livre! Acreditamos que, pelo simples fato de estarmos em um relacionamento e termos que cumprir certas “normas”, como não sermos infiéis por exemplo, devemos privar a liberdade do nosso parceiro.
Estar em um relacionamento não significa que nos cortem as asas. Devemos continuar a perseguir os nossos sonhos. Se você quiser se mudar ou visitar outro país, você deve fazer isso! Não deixe de viver a sua vida pelo simples fato de estar em um relacionamento. Não permita que cortem as suas asas, porque se for assim você não vai ser feliz.
Dizem que amar alguém nos deixa muito felizes e bobos, mas se a relação tem o lado oculto da privação da liberdade e do controle, então como ser feliz? Em certas ocasiões você pode pensar que está errado, que o parceiro não está realmente te controlando, que você está fazendo tempestade em copo d’água. Cuidado, pois a pessoa que te controla faz com que você pense que está errado, por isso abra os olhos!
Você não pode se permitir não ser livre, e quanto aos seus sonhos? A sua vida? Seja livre e não deixe que nada te controle. Isso não é amor, tenha isso em mente. O amor é outra coisa, algo em que a sua liberdade e a sua felicidade ocupam o primeiro lugar.
Sou livre com ou sem você, você pode pegar a minha mão e me acompanhar nesse caminho, mas nunca irei permitir que você exerça controle sobre mim.
Quando você descobrir, não terá escapatória
Saber se estão nos controlando ou não pode ser relativamente fácil se olharmos a situação de fora, mas é algo muito mais difícil se estivermos envolvidos, onde nos encontramos imersos nos nossos sentimentos.
Por isso, devemos aprender a ler a forma como uma pessoa que controla age, que inclusive pode nem ser um parceiro íntimo. Às vezes, existem amizades ou familiares que querem nos controlar. É claro que isso costuma ser muito mais notável e mais habitual nos relacionamentos amorosos do que no restante das relações.
Querem fazer muito em pouco tempo, querem estar juntos o máximo de tempo possível. Isso pode ser suportável no início, mas pode chegar a sufocar depois de algum tempo.
A racionalidade não tem vez, é tudo fabuloso e maravilhoso, por isso não se quer perder tempo. Como a pessoa te enche de atenção e cuida de você, ela se sente com direitos sobre a sua vida.
A pessoa é sedutora, mas é uma sedução que tem segundas intenções. Ela quer fazer com que você esteja sempre feliz para não querer sair do lado dela. Te quer só para ela. Você é dela. Aqui é onde a possessividade começa.
Faz você se sentir especial, diz que você é o melhor que lhe aconteceu, que você é único e insubstituível no mundo. Com isso, a pessoa que controla se sente com direitos para decidir que a sua vida é dela.
Muitas vezes você não vai acreditar que o que acontece é certo. Tudo ocorre de forma silenciosa, pois com essas atitudes você está quase assinando um “contrato” em que cede a sua vida ao controlador. Pense bem na pessoa que você tem ao seu lado e não permita que ela te absorva, que te controle. Tenha a certeza de que você se sente seguro ao lado dela, especial, mas cuidado! A longo prazo, tudo isso pode mostrar uma personalidade controladora que não o fará feliz, muito pelo contrário.
“Se você insistir em controlar a vida dos outros, ficará sem tempo para viver a sua própria vida.” -Anônimo

Proteja a sua liberdade, proteja as suas asas. Ninguém tem o direito de cortá-las, ninguém tem o direito de controlar a sua vida. Pois ela é sua e você é o único que deve dirigi-la e vivê-la com felicidade, realizando todos os seus sonhos e eliminando as barreiras que possa encontrar.

Via: O Segredo

“Se um homem quer você, nada pode mantê-lo longe”, texto de Oprah Winfrey



Se um homem quer você, nada pode mantê-lo longe;
Se ele não te quer, nada pode fazê-lo ficar.
Pare de dar desculpas (de arranjar justificativas) para um homem e seu comportamento. Permita que sua intuição (ou espírito) te proteja das mágoas.
Pare de tentar se modificar para uma relação que não tem que acontecer.

Mais devagar é melhor. Nunca dedique sua vida a um homem antes que você encontre um que realmente te faz feliz.
Se uma relação terminar porque o homem não te tratou como você merecia, “foda-se, mande pro inferno, esquece!”, vocês não podem “ser amigos”. Um amigo não destrataria outro amigo.
Não conserte.
Se você sente que ele está te enrolando, provavelmente é porque ele está mesmo…
Não continue (a relação) porque você acha que “ele vai melhorar”.
Você vai se chatear daqui um ano por continuar a relação quando as coisas ainda não estiverem melhores.
A única pessoa que você pode controlar em uma relação é você mesma.
Evite homens que têm um monte de filhos, e de um monte de mulheres diferentes. Ele não casou com elas quando elas ficaram grávidas, então, porque ele te trataria diferente?
Sempre tenha seu próprio círculo de amizade, separadamente do dele.
Coloque limites no modo como um homem te trata.
Se algo te irritar, faça um escândalo.
Nunca deixe um homem saber de tudo. Mais tarde ele usará isso contra você.
Você não pode mudar o comportamento de um homem. A mudança vem de dentro.
Nunca o deixe sentir que ele é mais importante que você… mesmo se ele tiver um maior grau de escolaridade ou um emprego melhor.
Não o torne um semideus. Ele é um homem, nada além ou aquém disso.
Nunca deixe um homem definir quem você é.
Nunca pegue o homem de alguém emprestado.
Se ele traiu alguém com você, ele te trairá.
Um homem vai te tratar do jeito que você permitir que ele te trate.
Todos os homens NÃO são cachorros.
Você não deve ser a única a fazer tudo… compromisso é uma via de mão dupla.
Você precisa de tempo para se cuidar entre as relações. Veja as suas questões antes de um novo relacionamento.
Não há nada mais precioso quanto viajar.
Você nunca deve olhar para alguém sentindo que a pessoa irá te completar. Uma relação consiste de dois indivíduos completos, procure alguém que irá te complementar… não suplementar.
Namorar é bacana. Mesmo se ele não for o esperado Sr. Correto.
Faça-o sentir falta de você algumas vezes… quando um homem sempre sabe que você está lá e que você está sempre disponível para ele, ele se acha.
Nunca se mude para a casa da mãe dele. Nunca seja cúmplice (ou co-assine qualquer documento) de um homem.
Não se comprometa completamente com um homem que não te dá tudo o que você precisa.
Mantenha-o em seu radar, mas conheça outros…
Compartilhe isso com outras mulheres e homens (de modo que eles saibam).
Você fará alguém sorrir, outros repensarem sobre as escolhas e outras mulheres se prepararem.

O medo de ficar sozinha faz que várias mulheres permaneçam em relações que são abusivas e lesivas.
Você deve saber que você é a melhor coisa que pode acontecer para alguém e se um homem te destrata é ele que vai perder uma coisa boa.
Se ele ficou atraído por você à primeira vista, saiba que ele não foi o único.
Todos eles estão te olhando, então você tem várias opções.
Faça a escolha certa.
CUIDEM BEM DE SEUS CORAÇÕES…

Oprah Winfrey

A mulher que anda do teu lado é o sonho de muitos outros por aí



Ela é apaixonada por carinhos e cafunés. Diz não existir forma mais carinhosa do que dormir de conchinha com quem se ama. Odeia coisas meio termo: com ela é tudo, ou nada.
É que de onde ela vem não existe meio-amor, entende? Sorri com a mesma facilidade com que chora. Gargalha com tuas piadas sem graça só pra te presentear com risos gostosos. E insiste em chorar quando assiste “Um amor pra recordar”, pela vigésima vez.

Apaixonada pela forma com que é tratada, ela retribui carinhos com a simples maneira que te olha e no modo bobo como quem esbanja um sorriso sincero no rosto. Ela sempre te observa, mas quer ser observada também. Ela sempre quer o teu melhor, e o dela também. Reciprocidade é sua palavra favorita. Ela acredita fielmente nos versos do Fernando Pessoa e nas tuas poesias desconexas, também. Um cadinho ciumenta, mas sabe ela que tempero demais desanda o prato.
Ela vai te amar de qualquer jeito, com a tua roupa mais formal ou com o teu pijama do Pokémon. Ela fará de tudo para que dê certo entre vocês, mas irá precisar de você ao seu lado caso o mundo dela desabar, entende? Ela é incrível cara, e vai demorar pra você perceber isto. Mas sinceramente, eu espero que não demore. Cuide dela em todas as noites em que ela espirrar da poeira do teu quarto. Sim, ela é alérgica a muitas coisas. A poeira, a camarão, a falsidade e traição. Ela ama carinhos, cócegas a deixa vulnerável.
Como diria o Hugo Rodrigues:
“Não tente ensina-la a maldade que passa na cabeça de outros homens mundo afora. Apenas entenda que a mulher que anda ao teu lado é o sonho de muitos outros por aí. ”
Cuida daquilo que tu amas.

Jovem arrecada R$ 39 mil após pai cortar faculdade por namorar negro



A americana Allie Dowdle, de 18 anos, viu-se obrigada a recorrer ao financiamento coletivo para continuar seus estudos. Não por dificuldades financeiras, mas porque seus pais decidiram parar de sustentá-la depois que ela começou a namorar um negro. No site GoFundMe, Allie alega que a decisão dos pais foi tomada após uma tentativa dela de aproximar o companheiro da família.

“Como eu tenho 18 anos, meus pais decidiram não mais apoiar o meu futuro, me privando de todos os meus recursos, incluindo minhas economias pessoais, meu carro, meu telefone e minha educação, me deixando só para pagar pela faculdade”, escreveu Allie.
A iniciativa deu resultado. Em apenas dois dias ela arrecadou mais de US$ 13 mil, cerca de R$ 39 mil. No texto, Allie conta ter conseguido bolsas de estudo, mas mesmo assim faltariam US$ 10 mil para pagar os estudos deste ano. Ela também diz estar procurando emprego para sair da casa dos pais, na cidade de Memphis, nos EUA.
“Ainda não consegui um emprego porque não tenho um meio de transporte consistente disponível”, escreveu a jovem.
Segundo o relato, ela começou a namorar Michael há cerca de um ano e, logo no início do relacionamento, mostrou aos pais uma foto do companheiro. A reação não poderia ter sido pior:
“Meu pai não me deu opção, ele disse que eu não poderia mais ver Michael”, escreveu ela. “Por quê? Estritamente por causa da cor da pele. Eu não podia compreender como alguém poderia ser visto como menor por causa de pigmentos. Ainda não compreendo isso, e nunca serei capaz de compreender”.
Mesmo com a proibição, o casal continuou se encontrando, “mas discretamente”.
“Finalmente, há cerca de um mês, Michael e eu nos aproximamos dos meus pais, e a resposta foi muito mais drástica do que eu poderia esperar”, disse Allie. “Tudo isso porque eu amo um ser humano, como eu fui ensinada a fazer. Como o meu amor por outra pessoa pode ser errado por causa da cor da pele?”.
CRÍTICAS DE INTERNAUTAS
Em entrevista ao “New York Daily News”, o pai, Bill Dowdle, dono de uma loja de artigos esportivos, confirmou que sua filha namorar um homem negro não era sua “preferência”, mas negou ser racista e disse que a decisão de parar de bancar a filha não foi uma represália ao namoro com um jovem negro. Segundo ele, Allie pode namorar quem ela quiser, já que tem 18 anos, mas o relacionamento com Michael foi reprovado porque Allie o encontrava em segredo.
Segundo o pai, a decisão de cortar o dinheiro para a faculdade “nunca foi por causa de raça”, mas porque Allie estava mimada e “se tornou óbvio que ela precisava sair para o mundo e crescer”.
Nos comentários na página da campanha, muitos internautas criticaram a iniciativa da jovem Allie.

“Essa campanha é ofensiva. Dizer 'não' ao racismo não tem nada a ver com esta situação”, escreveu uma internauta. “Mandar uma menina branca privilegiada para a faculdade que não consegue um emprego porque os pais tomaram o seu carro é absolutamente ridículo. Pegue um ônibus”.
“Mandar uma garota branca de classe média para a faculdade não é lutar contra o racismo”, escreveu outra. “Ser tratada como uma heroína por namorar um homem negro é que me parece racismo”.

Via: O Globo

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Sua irmã é um pedacinho seu. Mesmo longe, ela continua perto de você

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017


Eu tinha seis anos quando a minha irmã nasceu. Ela era um bebê gorducho e risonho. Um dia, minha mãe a vestiu com uma roupa cor-de-rosa e a colocou junto de algumas bonecas, sentadas uma ao lado da outra sobre a cama e encostadas na parede. Eu era privilegiada: tinha uma boneca viva dentro de casa!
Conheço histórias de irmãs que não se falam mais, ou de relacionamentos bem frágeis por causa da falta de intimidade ou amizade entre elas. Isso é uma pena.
O fato de duas ou mais mulheres serem irmãs não significa que elas têm que ter os mesmos ideais de vida e os mesmos sonhos, nem os mesmos gostos. Irmãs são diferentes. Enquanto uma constitui família, a outra deseja ser livre para explorar o mundo. Enquanto uma usa esmalte vermelho, a outra prefere o de cor bege.

Talvez seja por falta dessa compreensão que tantas irmãs param de se falar. E, nessa ausência, elas acabam se esquecendo da infância que tiveram juntas, quando dividiam tarefas, brinquedos e fantasias. No vazio que fica entre elas, perdem-se o cheiro gostoso do bolo da avó, o medo que tinham do pai bravo e as férias que passaram juntas.
Eu gosto de me lembrar dos momentos que tive com minha irmã, como as vezes que me deitei ao seu lado na cama com grade de proteção para ela não cair no chão. Eu cantava as músicas de ninar que minha mãe me ensinara. Depois de alguns anos, quando eu tinha cerca de nove anos e minha irmã, três, nós brincávamos de casinha. Eu “cozinhava” para ela com meus jogos de panelinhas, e ela comia (coitada) a papinha que eu fazia, uma mistura de groselha, achocolatado em pó e açúcar. Na infância, a irmã mais velha possui um sentimento maternal por sua irmãzinha, e a mais nova espelha-se na mais velha, desejando ser igual a ela.
Os anos se passaram e fui a madrinha de crisma da minha irmã. Nos separamos quando fui pra faculdade, mas moramos juntas por quatro anos algum tempo depois. Até que, um dia, cada uma seguiu o seu destino.
Hoje moramos em cidades diferentes. Com a maturidade, não há mais uma distinção tão marcante entre quem é a mais a velha e quem é a caçula. Aliás, às vezes desconfio que minha maninha se tornou a irmã mais velha, pelo cuidado que ela tem comigo. Numa fase conturbada da minha vida, ela foi irmã, mãe, amiga, madrinha e médica para mim.
É que irmãs se ajudam, mesmo à distância. A vida anda corrida para ambas, mas elas permanecem com o pensamento uma na outra. Irmãs choram juntas, uma pela dor da outra. Depois, celebram suas conquistas. Também discordam ou discutem. Algumas vezes, elas brigam. E então se perdoam, com a mesma sinceridade da infância, fazendo as pazes e continuando a vida de onde tinham parado.
Porque irmãs são unidas pela saudade pueril. Pela inocência que se transformou em senso crítico. Pelo carinho desmedido e pela generosidade sincera. Irmãs possuem um amor que é laço que não se desfaz, mesmo que, vez ou outra, ele fique frouxo nas discórdias e nos ciúmes. Mas o laço estará sempre lá, segurando a irmandade e mantendo firme o sentimento que as une.

Fonte: Revista Bula